Hoje não se morre nesta casa

Hoje não se morre nesta casa
É dia de limpeza e arrumação
Tirar o pó do retrato
Dos que escaparam do tempo

E voou a minha alma
Trazendo tempestade molhada e fresca
Que caiu no parado e seco desencanto

Hoje não se morre nesta casa
É dia de casar e tirar as coisas de dentro do baú
Dia de imergir na imensidão
Do oceano... brutal... azul...
Sem perder de vista a luz do farol, ao longe

Hoje não se morre nesta casa
Pois hoje é tempo de temperar teu coração
Com aquele amor que eu guardava
Dentro do temor vestido de rei
Que nunca abria os braços para o vento

Hoje não se morre nesta casa
Porque se vive! Para partilhar o pão
Hoje não se morre nesta casa, porque se vive!
Para dançar no teu corpo
Hoje não se morre nesta casa, porque se vive!
Para ser feliz porque existes, mesmo que queiras voar


Hoje não se morre nesta casa, porque se ama, ora!

1 comentários