Solilóquios descoladinhos de uma dona de casa pretensiosa

sábado, 6 de outubro de 2012

Pequeno Poema de Manhã

20:08 POR Carolina Rêgo Barros 1 COMENTÁRIOS

Atávico som impregnado

Acossado antes da aurora

Foge por entre estes dedos

Pensamento cativo em cotidiano

Seca a cicatriz

Manhã que invade, tocando tudo

Sozinha na tarde, o insolente silêncio

Noite além, brilhante, louca

Sempre um mundo e essa vontade que não passam